quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Gladson Cameli sofre acidente na BR 364 e tem carro destruído

O senador eleito Gladson Cameli, do PP, se envolveu num acidente automobilístico na BR-364, entre Sena Madureira e Manuel Urbano na tarde desta quinta-feira, confirmou há pouco sua assessoria.
Gladson, que também é deputado federal, estava com o seu motorista e o ex-deputado José Bestene, numa caminhonete Hilux preta e teria batido de frente com outro veículo pertencente ao deputado eleito Luiz Gonzaga, do PSDB.
“O carro do Luiz Gonzaga tentou ultrapassar outro veículo e bateu na caminhonete do senador, mas está tudo bem e ele já seguiu viagem para Cruzeiro do Sul”, disse Flavio Silva, assessor de Cameli.
A caminhonete de Gladson ficou totalmente destruída. O senador eleito entrou em contato com a redação de ac24horas e destacou que, “eu não sofri nenhuma arranhãozinho. Já estou em Manoel Urbano, cumprindo agenda de agradecimentos aos meus eleitores. Informo que sofremos apenas danos materiais. Nenhum dano físico, graças a Deus”.
Gladson_sena_01

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Tiros são efetuados em delegacia de Acrelândia

Na madrugada desta segunda-feira, enquanto a guarnição fazia patrulhamento pelas áreas da cidade um cidadão em uma motocicleta teria passado em frente da delegacia e efetuado disparo de arma de fogo provavelmente uma escopeta. Minutos depois a guarnição iniciou buscas capturando um suspeito, mais não houve feridos na ação.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Homem é morto a facada pela ex-mulher no bairro Vitória

banner
O homicídio de Reginaldo Tavares de Morais, 32 anos, aconteceu na noite desta quinta-feira (25), na travessa Cristã, no bairro Vitória.
Segundo informações repassadas pela Polícia, a ex-mulher da vítima, identificada como Ana Carine Fonseca Viana, 18 anos, teria sido a autora do crime, ela teria desferido uma facada no peito de Reginaldo.
De acordo com a acusada, ela estaria separada a quatro meses da vítima. Na manhã desta quinta-feira, ela teria ido à casa do mesmo para pegar um dinheiro para a  filha que eles tinham. Ao chegar na casa, Reginaldo estaria bebendo e ela teria permanecido na residência com ele, mas no final tarde, ela teria dito para o ex-marido que iria embora com a filha, foi quando os dois começaram uma discussão, Reginaldo teria trancado o quarto em que eles estavam, mas ela teria conseguido sair indo em direção a cozinha, ele foi atrás dela e começou a agredir a mesma,  então ela teria pegado uma faca para se defender e atingiu o peito dele.
Uma viatura do SAMU foi acionada, mas a vitima já estava sem vida.
Ana Carine foi presa logo em seguida por policiais militares e conduzida a Central de Flagrantes.
Na delegacia ela relatou que viveu durante 3 anos com Reginaldo e ele a agredia muito, esse teria sido o motivo da separação. Ela teria registrado queixa contra o mesmo.
Ela não quis mostrar o rosto, só mostrou as marcas em seu corpo, que segundo ela, teria sido causada na hora da briga.

Presidiário em condicional é executado a tiros no Bairro Santa Helena

banner
A execução do presidiário Hermilson Cunha Cipriano, 34 anos, aconteceu nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (25), na Travessa Santa Helena, Bairro Santa Helena.
Segundo informações da polícia, dois homens que ainda não foram identificados, estavam ao lado da casa da vítima, fingindo estar capinando o quintal, Hermilson iria deixar as crianças na escola, ele então teria entrado no carro e ao sair da garagem a dupla que estava em posse de uma pistola alvejou a vítima com 9 tiros. Três dos tiros acertaram Hermilson. Os dois acusados se evadiram do local logo em seguida em uma moto preta.
Uma viatura do SAMU foi acionada, mas a vítima já estava sem vida.
Policiais Militares do 2º Batalhão foram acionados e saíram em busca dos acusados, eles encontraram a motocicleta usada na fuga abandonada nas redondezas do Ramal da Judia no Segundo Distrito.
O corpo foi encaminhado ao IML para os devidos procedimentos.

Justiça determina indisponibilidade de bens do prefeito de Acrelândia, Jonas

Jonas-Dales-é-acusado-de-improbidade-administrativa-660x330
 
 
A pedido do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), a juíza de Direito Maria Rosinete dos Reis Silva, da Vara Cível da Comarca de Acrelândia, acatou o pedido na Ação Civil Pública, assinada pelo promotor de Justiça Teotônio Rodrigues Soares Júnior, da Comarca de Acrelândia, pela condenação do prefeito de Acrelândia, Jonas Dales da Costa Silva; vereador João Garcia Rodrigues; servidor Almir Bravin de Palma; e do secretário Claudiney Rodrigues.
A juíza determinou a indisponibilidade dos bens financeiros depositados em instituições financeiras e veículos de qualquer valor de cada um dos réus.
De acordo com investigação do órgão ministerial, o vereador João Garcia Rodrigues, que é servidor público de Acrelândia, recebia salários da prefeitura, acrescidos de horas extras, sem trabalhar. As investigações apontaram que todos os réus sabiam da irregularidade, porém, o prefeito ordenava que o pagamento fosse efetuado.
Os servidores Almir, Claudiney e Rejane Kátia, revelando imoralidade e desonestidade, tentaram alterar documentos e produziram documentos com data retroativa, tudo com a finalidade de encobrir o fato e ajudar o prefeito e o vereador João Garcia Rodrigues.
O Ministério Público imputa aos réus a prática de atos de improbidade administrativa, os quais importaram em enriquecimento ilícito do vereador João Garcia Rodrigues, lesão ao erário, além de atentarem contra os princípios da Administração Pública, violando os deveres de honestidade, legalidade, moralidade e lealdade às instituições.
A juíza determinou a notificação dos réus para que ofereçam manifestação por escrito, no prazo de quinze dias.

MP garante condenação de acusado por tentativa de homicídio em Acrelândia

Uma ação penal ajuizada pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) culminou na condenação de Francisco de Assis Alcântara Gonçalves, por tentativa de homicídio por motivo torpe e por meio cruel, no município de Acrelândia. O réu também foi condenado por prática de furto qualificado pelo concurso de pessoas e associação à formação de quadrilha.
A juíza de Direito Louise Kristina Lopes condenou o réu à pena de 25 anos de reclusão em regime inicial fechado mais 50 dias-multa. A ação penal foi proposta pelo promotor de Justiça Teotônio Soares Júnior.
O assassinato só não foi consumado porque, no momento em que a vítima era torturada, uma viatura policial passou no local. Na ocasião, houve disparos de arma de fogo contra a polícia, configurando risco de atingir ainda outros policiais que estavam no local atendendo outra ocorrência.
“O ato do réu, além de quase ceifar prematuramente a vida da vítima, atingiu, diretamente as Instituições Públicas, legalmente constituídas”, diz um fragmento da sentença.
Restou apurado que o réu era chefe da quadrilha e exercia extrema influência e temor sobre os demais integrantes do bando, já devidamente julgados e condenados no dia 1º de novembro de 2013. São eles: Anderson dos Santos Freitas, vulgo ‘Camarão’; Anaeu Mendonça de Brito; e José Francisco Borges de Oliveira, vulgo ‘Mano’.
 As torturas
Francisco de Assis participou das agressões feitas à vítima, desferindo chutes, socos e coronhadas na cabeça com arma de fogo, entres outras condutas violentas.
Segundo depoimentos da vítima, de testemunhas e o interrogatório do acusado, após a vítima ser algemada, ferida com quatro golpes de faca e submetida a uma sessão de tortura, a intenção era que aos poucos falecesse, agonizando até a morte.
Os criminosos também insistiam com a vítima sobre o paradeiro do delegado da cidade, para onde se dirigiriam para fazer uma empreitada criminosa. A intenção também seria intentar contra a vida da juíza titular da cidade, Maria Rosinete Reis Silva.
No local, eles roubaram armas de fogo e fugiram com elas para garantir a fuga.
A vítima ficou dez dias internada e permaneceu afastada de suas funções por mais de 30 dias devido às lesões corporais sofridas.

nício do Campeonato Acreano de Futsal é adiado para 29 de setembro

Após pequeno erro de agenda do Ginásio do Sesi, em Rio Branco, capital do Acre, o Campeonato Acreano de Futsal da 1ª divisão teve seu início adiado para a próxima segunda-feira, 29 de setembro.
A alteração na data de abertura da competição estadual, que tem sete times na briga pelo título e não terá a atual tricampeã, AABB, foi forçada por causa da realização da Taça Amazônica de Handebol masculino, que está sendo disputada no mesmo local, entre os dias 23 e 27 deste mês.
De acordo com o presidente da Federação Acreana de Futsal (Fafs), Gilson Albuquerque, somente a data de abertura do campeonato teve que ser alterada. O restante dos jogos seguem o programado na tabela. 
O jogo de abertura do Campeonato Acreano de Futsal é entre Campo Grande, da capital,  e Madureira, do município de Sena Madureira, às 20h, no Ginásio do Sesi. O campeão estadual de 2014 vai representar o Acre na Taça Brasil de Futsal 2015.